Dica VIM para Debian

Ola a todos, para sanar o problema (demora/preguiça/procrastinação/vicionowii) vou tentar postar dicas e algumas coisas bacanas do meu dia a dia. Como a idéia do blo é um repositório de conhecimento nada mais justo. (obs: esse wordpress tem mais atualização que (@#(!#*@#).

Sou  usuário de Debian, no meu trabalho utilizo Slackware o que sempre me deixou curioso é que aprendi a usar o VIM, no slack e ao instalar ele no debian  para ser meu editor padrão percebi que  no debian não tem cores :/ que ajuda bastante a vida na hora de ditar um arquivo de configuração.

Uns minutos no google e encontrei o que tenho que fazer.

primeiro instale o pacote

aptitude install vim / apt-get install vim

após isso, basta editar o arquivo vimrc

vim /usr/share/vim/vimrc

no arquivo de configuração procure pela linha “syntax on e remova o ” , salve e saia, pronto o seu vim estará com cores.
Mas não é so isso, o bacana desse arquivo que serve para colocar parametros para o seu vim, sabe o set number? que aparece as linhas? basta colocalo no arquivo (de preferencia onde estão todos set numbers para não se perder)

set number

E ai so descobrir os parametros do vim que achar interessante e ir colocando nesse arquivo.
Minha dica é, o VIM é um editor fantástico, a gente que usa pouco (inclua-me no meio) e temos preguiça de descobrir seus parâmetros e dominar um pouco mais a ferramenta e se torna nosso calcanhar de aquiles :/.

Aqui um material bacana sobre o vim http://aurelio.net/vim/ .

Abaixo a tela do meu vim no debian
Vim no Debian

Demora de post

Bom pessoal tá dificil manter uma sequencia de post, estarei tralhando com mais afinco, sobre o samba ainda não desisti estou vendo o que consigo do smb.conf que não fique um conteudo batido. Em contrapartida estarei colocando informações sobre um projeto da Unip de SJRP no qual esta co-orientando, e estaremos montando um cluster, também estarei abordando essa montagem e configuração.

 

Bom é isso ai aos poucos vou me aprimoranod no blog.

 

Compreendendo o Samba

Notas do autor

Olá a todos esse é meu primeiro post técnico aqui no blog (resolvi deixar de vadiar), fiquem calmos pois não estaremos ensiando os enredos das escolas de samba nem como sambar (particularmente não gosto de canraval:), estaremos falando da ferramenta, que é um software livre, SAMBA.

Bom essa é a primeira sessão falando da ferramenta samba(4 ou 5 posts), irei abordar um pouco de teoria os parâmetros de configuração e, aos pouquinhos, iremos incrementando até chegar ao samba+ldap :)

Primeiro quero dizer que só fui entender o samba quando resolvi estudá-lo direito (obviamente), esse artigo/tutorial é o conjunto de informações que consegui extrair de estudos, como todo esse trabalho é pessoal, erros podem ocorrer e etc caso encontre algum por favor deixe um comentário e/ou envie um e-mail, assim poderei estar melhorando mais e mais o documento.

Como me cansei de ver vários tutoriais que são apenas “monte de comando” os turoriais/artigos aqui seguiram uma proposta um pouco diferente destes encontrados aos montes pela rede, proponho sempre levar uma informação a mais sobre a ferramenta.

E é nisso que trabalharemos a essa primeira parte dessa sequencia de posts sobre o samba.

Logo Samba

Compreendendo o Samba.

Historia:

Bom pesquisando a história sobre o samba me deparei com o material do Guia/Foca (como sempre :) então para não re-inventar a roda, segue o trecho do grande Gleydson sobre a história do samba (referência lá embaixo).

“Andrew Tridgell – Desenvolveu o samba porque precisava montar um volume Unix em sua máquina DOS. Inicialmente ele utilizava o NFS, mas um aplicativo precisava de suporte NetBIOS. Andrew então utilizou um método muito avançado usado por administradores para detectar problemas: escreveu um sniffer de pacotes que atendesse aos requerimentos para ter uma única função: analisar e auxilia-lo a interpretar todo o tráfego NetBIOS da rede.

Ele escreveu o primeiro código que fez o servidor Unix aparecer como um servidor de arquivos Windows para sua máquina DOS que foi publicado mais ou menos em meados de 1992 quando também começou a receber patches. Satisfeito com o funcionamento de seu trabalho, deixou seu trabalho de lado por quase 2 anos. Um dia, ele resolveu testar a máquina Windows de sua esposa com sua máquina Linux, e ficou maravilhado com o funcionamento do programa que criou,  e veio a descobrir que o protocolo era documentado e resolveu levar este trabalho a fundo melhorando e implementando novas funções.” (Gleydson, guia Foca)”

O que e o samba?

Segundo o próprio site, Samba é um software livre que prove compartilhamento de arquivos e impressoras para sistemas que trabalhem com o protocolo SMB/CIFS.

O SAMBA vem com a implementação do CIFS (Common Internet File System) que a maneira que a Janela compartilha seus arquivos. Como sempre a documentação desse protocolo (implementando pelo janela) as vezes é fraca, inconsistente como  em todo aquele problema de Software Proprietário, por isso muitas aplicações que o samba traz não são por padrão o que a “Janela” desenvolveu. É fruto de engenharia reversa e muitos estudos e novas implementações.

Atualmente trabalha com o protocolo de comunicação SMB (Server Message Block) que é o protocolo de compartilhamento de arquivos impressoras e etc.

As RFCs na qual regem a o desenvolvimento dessa fantástica ferramenta são:

  • RFC1001 – Protocol standard for a NetBIOS service on a TCP/UDP transport: Concepts and methods
  • RFC1002 – Protocol standard for a NetBIOS service on a TCP/UDP transport: Detailed specifications
  • RFC1088 – Standard for the transmission of IP datagrams over NetBIOS networks

Tá mas o que o samba faz exatamente?

Simples ele gerencia o compartilhamento de arquivos entre vários sistemas operacionais. distintos.

É o ideal para o compartilhamento de arquivos em uma empresa que trabalha com mais de um tipo de sistema operacional (e também para as de um só), as vantagens gritantes do samba relativo e todos seus concorrentes ao meu ver são:

  1. É um software livre
  2. Desenvolvimento continuo
  3. Boa documentação
  4. Fácil pesquisa
  5. Não precisa de um super computador para seu funcionamento pleno.

Funcionamento do samba:

O samba trabalha com 2 ou 3 daemons (depende da aplicação que irá fazer da ferramenta) um daemon é um serviço que roda respondendo a requisições (“processo servidor”) são eles:

  1. nmbd : responsável pelo registro de nome e resolução traduzindo para você acessar as máquinas via nome e identificar qual máquina se conectou no servidor
  2. smbd : responsável por todos os serviços de TCP/IP com intuito de manipulação de arquivos e impressões além de gerenciar a autenticação local; Traduzindo esse é o cara responsável por você conseguir salvar arquivos e/ou ler arquivos no servidor
  3. winbindd : por fim o cara que conversa com domínios, se tiver que conversar com qualquer outro domínio( seja só pra autenticar ou relação de confiança ) esse servidor deve, por sua vez, estar levantado

No próximo artigo estaremos abordando o smb.conf, sua estrutura.

Referencias

http://www.ubiqx.org/cifs/Intro.html#INTRO.2

http://samba.org/samba/docs/

http://www.samba.org/samba/docs/man/Samba-HOWTO-Collection/install.html

http://www.rfc-editor.org (site com as RFCs obvio)

http://focalinux.cipsga.org.br/guia/avancado/ch-s-samba.htm

http://www.samba.org/cifs/docs/what-is-smb.html#Introduction

Teste

Ola a todos que cairem aqui :) esse é um post teste, para ver como se enquadra o laytou

Thanks