Quebrando a Corrente, bye bye facebook

A rede social é a comunicação entre os seres humanos não uma empresa específica ou uma ferramenta. O Facebook é uma ferramenta para interatividade, apenas e somente isso.

Com as novas mudanças em sua politica de uso, fica claro sua ambição de ser centralizadora. A “sua timeline” logo será uma tela de televisão, pois tudo que o que for divulgado será decidido pelos algorítimos da ferramenta, por tanto da empresa e dos interesses da mesma.

Tanto poder para uma espécie de “Inteligência Artificial”, apenas lógico e não emocional… nada coerente com o fato de tratar diretamente com sentimentos, relações inter pessoais e emoções. Não vejo sentido em sermos tratados como p1 e p2 de um perceptron(piada técnica).

Porem, não é apenas o fato de tratar a “minha timeline” com seus algoritmos, o que mais me preocupa nessa rede social e na verdade em todas empresas de T.I., é a centralização, o acumulo de informação e o poder que disso pode se extrair, voltaremos a era do feudalismo, o feudalismo digital?

Centralização não é democrática, ela é hierárquica e autoritária, é oposta ao espírito de liberdade que nasceu na internet, ela é contra todas nossas conquistas e ela é aliada de projetos da NSA, GCHQ, Golden Shielde outros que ainda não vieram ainda a tona.

Com sua nova politica de uso, que serão vigentes a partir de 1 de janeiro de 2015, não existe mais privacidade, apenas centralização, controle e provavelmente manipulação, essa que começou em 2012.

Me pergunto, o que mais terá por baixo do pano que não veio para superfície?… Eu Paranoico? Avisando que eue outros malucos, infelizmente, estávamos certo sobre a NSA…

Sigo a teoria do enxameao qual assisti no programa Café Filosófico com Augusto de Franco (Link Abaixo). Desejo que a febre do Facebook se torne como a febre do Orkut, que o enxame migre. Só espero que a migração para longe do Facebook se torne mais robusta e consciente, seja um não para a centralização e o acumulo de poder… um não para manipulação!

Então alguém deve ser perguntar “Para onde ir?”, primeiro, você não precisa de uma rede social para viver, a rede social é uma ferramenta de interação entre pessoas, APENAS uma FERRAMENTA, mas enfim, se quer algo no conforto do seu celular e de seus equipamentos eletrônicos, recomendo grandiosamente Diaspora, essa nasceu descentralizada, no berço da DISTRIBUIÇÃO.

Não temo um mundo conectado e interativo, pelo contrário acredito que esse é o caminho para novas conquistas sociais, tecnológicas, em todas as áreas do conhecimento humano. Mas não acredito nessa empresa que nos transforma em sumo do seu produto… Por isso quebro essa corrente e vou buscar novos horizontes, para minha interação.

Ainda mantenho essas ferramentas:

Twitter: oicreal

email(por enquanto ainda uso gmail): laercio.tardochi@gmail.com

Novo horizonte, Diaspora: Oicreal

Ainda mantenho essas ferramentas:

Twitter: oicreal

email(por enquanto ainda uso gmail): laercio.tardochi@gmail.com

Novo horizonte, Diaspora: Oicreal

 

Links

https://search.wikileaks.org/search?q=NSA

http://www.tecmundo.com.br/facebook/58412-facebook-manipulou-feed-noticias-usuarios-realizacao-de-estudo.htm

http://www.cpflcultura.com.br/wp/2014/05/05/viver-em-rede-e-viver-da-rede-com-augusto-de-franco/

 

Obrigado!!

Minha esposa, pela primeira revisão

kkkau, pela segunda

E a minha filha pela paciencia dela :)

 

Extra:

Uma amostra do diaspora para vcs.

diaspora

Libreoffice 4.1 no Kde

Ola ola ola, to devendo coisa pra caramba para o blog hehe.

Mas vamos lá uma dica rápida de Debian7 KDE e libreoffice, da sempre problema quando queremos a ultima versão do libreoffice no nosso Debian, conseguimos instalar o dpkg mas quando levantamos o Libreoffie ele fica… todo zuado.

Para resolver isso, basta remover o ~./config/libreoffice e iniciar novamente, e com isso o libreoffice fica de aparencia mais mió de boa.

Outra dica pra KDE, é, que o libreoffice 4.1 normalmente não inicia do menu, para solucionar isso, basta remover o %U do lançador no menu do kde (botao direito no menuk, editar aplicativos) e pronto.

Vamos mantendo tudo com dica pequena até tomar vergonha na cara e escrever algo descente=P

Compreendendo o Samba

Notas do autor

Olá a todos esse é meu primeiro post técnico aqui no blog (resolvi deixar de vadiar), fiquem calmos pois não estaremos ensiando os enredos das escolas de samba nem como sambar (particularmente não gosto de canraval:), estaremos falando da ferramenta, que é um software livre, SAMBA.

Bom essa é a primeira sessão falando da ferramenta samba(4 ou 5 posts), irei abordar um pouco de teoria os parâmetros de configuração e, aos pouquinhos, iremos incrementando até chegar ao samba+ldap :)

Primeiro quero dizer que só fui entender o samba quando resolvi estudá-lo direito (obviamente), esse artigo/tutorial é o conjunto de informações que consegui extrair de estudos, como todo esse trabalho é pessoal, erros podem ocorrer e etc caso encontre algum por favor deixe um comentário e/ou envie um e-mail, assim poderei estar melhorando mais e mais o documento.

Como me cansei de ver vários tutoriais que são apenas “monte de comando” os turoriais/artigos aqui seguiram uma proposta um pouco diferente destes encontrados aos montes pela rede, proponho sempre levar uma informação a mais sobre a ferramenta.

E é nisso que trabalharemos a essa primeira parte dessa sequencia de posts sobre o samba.

Logo Samba

Compreendendo o Samba.

Historia:

Bom pesquisando a história sobre o samba me deparei com o material do Guia/Foca (como sempre :) então para não re-inventar a roda, segue o trecho do grande Gleydson sobre a história do samba (referência lá embaixo).

“Andrew Tridgell – Desenvolveu o samba porque precisava montar um volume Unix em sua máquina DOS. Inicialmente ele utilizava o NFS, mas um aplicativo precisava de suporte NetBIOS. Andrew então utilizou um método muito avançado usado por administradores para detectar problemas: escreveu um sniffer de pacotes que atendesse aos requerimentos para ter uma única função: analisar e auxilia-lo a interpretar todo o tráfego NetBIOS da rede.

Ele escreveu o primeiro código que fez o servidor Unix aparecer como um servidor de arquivos Windows para sua máquina DOS que foi publicado mais ou menos em meados de 1992 quando também começou a receber patches. Satisfeito com o funcionamento de seu trabalho, deixou seu trabalho de lado por quase 2 anos. Um dia, ele resolveu testar a máquina Windows de sua esposa com sua máquina Linux, e ficou maravilhado com o funcionamento do programa que criou,  e veio a descobrir que o protocolo era documentado e resolveu levar este trabalho a fundo melhorando e implementando novas funções.” (Gleydson, guia Foca)”

O que e o samba?

Segundo o próprio site, Samba é um software livre que prove compartilhamento de arquivos e impressoras para sistemas que trabalhem com o protocolo SMB/CIFS.

O SAMBA vem com a implementação do CIFS (Common Internet File System) que a maneira que a Janela compartilha seus arquivos. Como sempre a documentação desse protocolo (implementando pelo janela) as vezes é fraca, inconsistente como  em todo aquele problema de Software Proprietário, por isso muitas aplicações que o samba traz não são por padrão o que a “Janela” desenvolveu. É fruto de engenharia reversa e muitos estudos e novas implementações.

Atualmente trabalha com o protocolo de comunicação SMB (Server Message Block) que é o protocolo de compartilhamento de arquivos impressoras e etc.

As RFCs na qual regem a o desenvolvimento dessa fantástica ferramenta são:

  • RFC1001 – Protocol standard for a NetBIOS service on a TCP/UDP transport: Concepts and methods
  • RFC1002 – Protocol standard for a NetBIOS service on a TCP/UDP transport: Detailed specifications
  • RFC1088 – Standard for the transmission of IP datagrams over NetBIOS networks

Tá mas o que o samba faz exatamente?

Simples ele gerencia o compartilhamento de arquivos entre vários sistemas operacionais. distintos.

É o ideal para o compartilhamento de arquivos em uma empresa que trabalha com mais de um tipo de sistema operacional (e também para as de um só), as vantagens gritantes do samba relativo e todos seus concorrentes ao meu ver são:

  1. É um software livre
  2. Desenvolvimento continuo
  3. Boa documentação
  4. Fácil pesquisa
  5. Não precisa de um super computador para seu funcionamento pleno.

Funcionamento do samba:

O samba trabalha com 2 ou 3 daemons (depende da aplicação que irá fazer da ferramenta) um daemon é um serviço que roda respondendo a requisições (“processo servidor”) são eles:

  1. nmbd : responsável pelo registro de nome e resolução traduzindo para você acessar as máquinas via nome e identificar qual máquina se conectou no servidor
  2. smbd : responsável por todos os serviços de TCP/IP com intuito de manipulação de arquivos e impressões além de gerenciar a autenticação local; Traduzindo esse é o cara responsável por você conseguir salvar arquivos e/ou ler arquivos no servidor
  3. winbindd : por fim o cara que conversa com domínios, se tiver que conversar com qualquer outro domínio( seja só pra autenticar ou relação de confiança ) esse servidor deve, por sua vez, estar levantado

No próximo artigo estaremos abordando o smb.conf, sua estrutura.

Referencias

http://www.ubiqx.org/cifs/Intro.html#INTRO.2

http://samba.org/samba/docs/

http://www.samba.org/samba/docs/man/Samba-HOWTO-Collection/install.html

http://www.rfc-editor.org (site com as RFCs obvio)

http://focalinux.cipsga.org.br/guia/avancado/ch-s-samba.htm

http://www.samba.org/cifs/docs/what-is-smb.html#Introduction